Finanzas solidarias para combatir los impactos socioeconómicos de la pandemia COVID-19

La actividad del Banco Comunitário de Preventório

Autores/as

  • Pedro Paulo Souza da Silva Mestre em Praticas de Desenvolvimento Sustentável-PPGPDS, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.
  • Janaína Machado Simões Professora Associada da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Palabras clave:

banco comunitario, Economía Social y Solidaria, finanzas solidarias, moneda local

Resumen

El objetivo general de este estudio es verificar el desempeño del Banco Comunitário de Preventório en la operacionalización de sus estrategias de Finanzas Solidarias durante el contexto de la Pandemia Covid-19. Para ello, se presentó la historia y caracterización del Banco Comunitario de Preventório, la identificación de las estrategias adoptadas durante el período de pandemia por la organización así como la verificación de los agentes y recursos utilizados. La metodología de trabajo se basa en la investigación social descriptiva. Para la recolección de datos se realizó una investigación documental y de campo. Se investigaron las acciones de la organización realizadas durante la pandemia, entre 2020 y 2021. Los resultados incluyen proyectos desarrollados entre 2020 y 2021 que buscaron presentar soluciones a problemas agravados por la pandemia, especialmente en las áreas de seguridad alimentaria y nutricional, generación de empleo e ingresos y dinamizar la economía local. Finalmente, fue posible verificar la importancia de las actividades del Banco Comunitário de Preventório en el territorio, así como la centralidad de la movilización de los actores estatales y de la sociedad civil en este proceso.

Citas

Camargo, P. (2009). A evolução recente do setor bancário no Brasil. São Paulo: Editora UNESP; Cultura Acadêmica. Retirado de: https://static.scielo.org/scielobooks/hn9cv/pdf/camargo-9788579830396.pdf.

Cernev, A. K; Diniz, E. H. (2020). Palmas para o E-Dinheiro! A Evolução Digital de uma Moeda Social Local. Rev. adm. contemp., Curitiba, v. 24, n. 5, 487-506. Retirado de: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552020000500487&lng=en&nrm=iso.

Coraggio, J. L. (2007). Sustentabilidade e luta contra-hegemônica no campo da economia solidária. In: Kraychete, G.; Aguiar, K. (Orgs.). Economia dos setores populares: sustentabilidade e estratégias de formação (pp. 66-69). São Leopoldo: Oikos Editora.

Dagnino R. (2010). Tecnologia social: ferramenta para construir outra sociedade. Campinas: Komedi.

Dagnino, R. (2014). Em direção a uma estratégia para a redução da pobreza: a Economia Solidária e a adequação sociotécnica. In: Tecnologia Social: contribuições conceituais e metodológicas (pp. 35-88). Campina Grande: EDUEPB. Retirado de: http://books.scielo.org/id/7hbdt/pdf/dagnino-9788578793272-05.pdf.

Faria, L. A. S. et al. (2019). Digitalizações De Moedas Sociais Brasileiras E Desafios De Governanças Comunitárias: Os Requisitos, Os Códigos E Os Dados. IPEA. Economia Solidária e Políticas Públicas. Mercado de trabalho, 67, 141-153

Fórum Brasileiro de Economia Solidária (2013). Relatório Final da V Plenária Nacional de Economia Solidária. Brasília: FBES.

França Filho, G. C; Laville, J. L. (2004). A Economia Solidária: uma abordagem internacional. Porto Alegre, Editora da UFRGS.

França Filho, G. C. de. (2007). Teoria e prática em economia solidária: problemática, desafios e vocação. Civitas: Revista De Ciências Sociais, 7(1), 155–174. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2007.1.2041.

Freire, P. (1987). Pedagogia do Oprimido. São Paulo, Paz e Terra.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra.

Freire, P (2011). Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro, Paz e Terra.

Gadotti, M (2009). Economia solidária como práxis pedagógica. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire.

Gaiger, L. I. G., (2003). A economia solidária diante do modo de produção capitalista. Caderno CRH, Salvador, n. 39, jul./dez. 181-211.

Gaiger, L. I. (2009). A associação econômica dos pobres como via de combate às desigualdades. Caderno CRH, 22 (57), 163.

Gaiger, L. I. G. ,& Kuyven, P. S.. (2020). Economia solidária e trajetórias de trabalho: Uma visão retrospectiva a partir de dados nacionais. Revista Brasileira De Ciências Sociais, 35(103), e3510304.

Garcia Santos, N. A; Theis, I. M. (2019). Tecnologia Social E Economia Solidária No Desenvolvimento Desigual: Limites E Possibilidades. Revista Baru - Revista Brasileira de Assuntos Regionais e Urbanos, Goiânia, v. 5, n. 2, 237-250. Retirado de: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/baru/article/view/7502.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Gonçalves, A. F (2009). Experiências em economia solidária. Campinas: Centro de Memória UNICAMP, Editora Arte Escrita, 69.

Instituto Banco Palmas. (2010). Rede Brasileira de Bancos Comunitários. Palmas. Retirado de: https://www.institutobancopalmas.org/rede-brasileira-de-bancos-comunitarios/.

Laville, J.-L. (2016). Repensando o espaço público e a economia: contribuição da economia solidária à teoria da democracia. Organizações & Sociedade, 23(78), 369–377.

Magri, C. A; Correa, C. E. (2013). Cooperativismo de Crédito familiar e solidário: instrumento de desenvolvimento e erradicação da pobreza. Passo Fundo: IFIBE, 13.

Mance, E. A. (1999). A Revolução das Redes: a colaboração solidária como uma alternativa pós-capitalista à globalização atual. Petrópolis: Vozes.

Mance, E. A. (2008). Desenvolvimento Local Sustentável: Conceitos e Estratégias. Brasília: Abril.

Marconi, M. D. A; Lakatos, E. M. (1996). Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas, amostragens e técnicas de pesquisas, elaboração, análise e interpretação de dados. São Paulo: Atlas.

Marx, K. (2004). Manuscritos Econômico-Filosóficos. São Paulo: Boitempo.

Melo Neto Segundo, J. J; Magalhães, S. (2009) Bancos Comunitários. IPEA Economia Solidária e Políticas Públicas. Mercado de trabalho n.41, 21-26. Retirado de: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/4059/1/bmt41_10_Eco_Bancos_41.pdf.

Minayo, M. C. S. (2001). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2001.

Ministério Do Trabalho E Emprego (2013). Política nacional de economia solidária. Brasília: SENAES/MTE, 6.

Morais, L. P; Bacic, M J. (2020). Social and Solidarity Economy and the need for its entrepreneuring ecosystem: current challenges in Brazil. Revista de Economía Pública, Social y Cooperativa. CIRIEC-España, 23. Retirado de: https://roderic.uv.es/bitstream/handle/10550/77420/7320085.pdf?sequence=1.

Nesol-USP. (2013). Bancos Comunitários de Desenvolvimento/Organização. Núcleo de Economia Solidária da USP. São Paulo.

Oliveira, A. J. G; Efing, A. C. (2020). Digitalization, Economic Development and Social Equality. In: Maria Mirabelli; Natália Brasil Dib; Sinan Miheli. (Org.). Community Development Banks: Instruments of Capability Expansion and Social and Economic Development in Brazil (pp. 210-223). Newcastle upon Tyne: Cambridge Scholars Publishing.

OPAS. (2020). OMS afirma que COVID-19 é agora caracterizada como pandemia. OMS. Retirado de: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6120:oms-afirma-que-covid-19-e-agora-caracterizada-como-pandemia&Itemid=812.

Pupo, C. G. de P. (2023). Entre os nexos dos circuitos da economia urbana e novas possibilida-des financeiras: o uso da moeda digital Mumbuca E-dinheiro em Maricá (RJ). Boletim Campi-neiro De Geografia, 12(1), 63–83. https://doi.org/10.54446/bcg.v12i1.2843

Rangel. T. L. V; Silva, D. J. (2016) Redistribuição e Reciprocidade Na Realidade Dos Bancos Comunitários: O Caso Do Banco Preventório E Do Banco Comunitário Popular De Maricá/Rj. Lex Humana, Petrópolis, v. 8, n. 1, 118-140.

Regazzoni, Q. (2010) A relação entre o Reino pregado por Jesus e o conceito de Vida Boa dos povos indígenas. IHU On-Line, São Leopoldo, 14-19. Retirado de: http://www.ihuonline.unisinos.br/artigo/18-artigo-2010/3441-quinto-regazzoni?start=1.

Rigo, A. S; França Filho, G. C. (2017). Bancos comunitários e moedas sociais no Brasil: reflexões a partir da noção de economia substantiva. Salvador: EDUFBA, 12.

Silva, S. P. (2020) Dimensões socioestruturais dos empreendimentos de economia solidária no Brasil. In: Silva, S. P. (org.). Dinâmicas da economia solidária no Brasil: organizações econômicas, representações sociais e políticas públicas (pp. 45-77). Brasília, DF: Ipea.

Silva Júnior, J.T, (2016). Utilidade social e finanças solidárias: uma proposta de avaliação dos bancos comunitários de desenvolvimento brasileiros. (Tese doutorado) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, Escola de Administração

Silva Junior, J. T; Gonçalves, S. M. S; Calou, A. L. (2007). Os bancos comunitários como instrumento de desenvolvimento socioeconômico de territórios: investigando as singularidades destas experiências de finanças solidárias. In: Anais do XXXI Encontro Nacional da ANPAD (pp. 22-26).

Silva Junior, J. T, Rigo, A., & Eynaud, P. (2023). Nuevas formas de acción colectiva en el contramovimiento de la economía. Otra Economía, 16(29), 107-127. Disponible en: https://www.revistaotraeconomia.org/index.php/otraeconomia/article/view/15020/9732

Singer, P. (2005). Introdução à Economia Solidária. São Paulo/SP: Editora Fundação Perseu Abramo.

Burigo, F. L. (2001). Moeda social e a circulação das riquezas na economia solidária. Florianópolis, Brasil. Dispobible en: https://lemate.paginas.ufsc.br/files/2016/06/MOEDA-SOCIAL-E-A-CIRCULACAO-DAS-RIQUEZAS-NA-ECONOMIA-SOLIDARIA.pdf

Suplicy, E. M. (2006). Renda básica da cidadania. Porto Alegre: L&PM.

Vergara, Sylvia C. (2000). Projetos e relatórios de pesquisa em administração. Rio de Janeiro: Atlas.

Descargas

Publicado

2023-12-27

Cómo citar

Silva, P. P. S. da, & Simões, J. M. . (2023). Finanzas solidarias para combatir los impactos socioeconómicos de la pandemia COVID-19: La actividad del Banco Comunitário de Preventório. Otra Economía, 16(30), 81-105. Recuperado a partir de https://revistas.ungs.edu.ar/index.php/otraeconomia/article/view/806
صندلی اداری سرور مجازی ایران Decentralized Exchange

Número

Sección

Economía Social y Solidaria: experiencias y sujetos
فروشگاه اینترنتی صندلی اداری جوراب افزایش قد ژل افزایش قد